Perigo Próximo

Safe Neighborhood, ou Perigo Próximo em português, é um daqueles Thriller/Terror psicológico que tem tudo para dar errado mas dá certo.

O começo é lamentável. É quase impossível de seguir vendo mas, ossos do ofício, meio de mau humor, segui em frente. A interpretação dos pais do protagonista beira ao ridículo. Mas isso passa (tudo passará) e o filme lentamente começa a tomar jeito.

Resultado de imagem para Perigo Próximo

Tem uma breve, e isso foi bom, encheção de linguiça, alguns joguinhos para enganar o espectador, e enganam, uma ou duas cenas duvidosas e então o filme realmente acontece.

Pois é

Ele surpreende – e talvez o início calamitoso tenha ajudado nisso – e torna-se uma obra razoável para o gênero. Sempre lembro que terror é seguramente um dos tipos de cinema mais difíceis de serem feitos. Sem dúvida longas deste gênero tem que ter um “desconto”.

Vários pontos positivos, o principal dele é a própria surpresa que não vou referir aqui para não dar spoiler, deixam os minutos restantes bom de ver.

Os atores principais, diferentemente do casal lembrado lá acima, são bons. A australiana Olivia DeJonge, de A Visita, é uma jovem atriz bastante segura e com um rosto feito para o tipo de personagem que ela interpreta em Perigo Próximo.

O menino Levi Miller (é um menino mesmo, mas nada inexperiente) de Peter Pan e Uma Dobra no Tempo, tem uma excelente atuação. Vale a pena ser observada: autêntica, alegre e tranquila.

De resto, nada chama a atenção. Nenhum detalhe técnico que deva ser citado.

É um filme médio que, em caso de nada melhor, deve ser visto.

Está no Telecine.


Quer ajudar o Partiu Cinema?


www.000webhost.com