O Eterno Silêncio

O Eterno Silêncio é um grito de alerta.

E digo isso não somente porque virou uma ótima frase de efeito para um primeiro parágrafo. Digo porque o tráfico de pessoas é, de acordo com dados de fontes confiáveis como a ONU, um dos principais problemas envolvendo criminosos em âmbito mundial. Fica logo depois do tráfico de drogas e de armas. Ele envolve particularidades cruéis e incompreensíveis para uma pessoa, digamos, normal. As razões que impulsionam esses crimes hediondos e horrosos vão desde o tráfico de órgãos até escravos sexuais. Por aí se mede o nível de crueldade dessa gente. E o mais grave ainda é que se existe o tráfico é porque existem compradores. Enfim.

Resultado de imagem para el Eterno Silêncio

Mas, primeiro o filme: O Eterno Silêncio é uma obra mexicana muito bem feita e editada de maneira bastante inovadora. Chama a atenção a forma como foi montado. Deu uma dinâmica legal.

Boa Fotografia

As filmagens, boa parte delas, quase a totalidade, são tomadas tipo A Bruxa de Blair. Não gosto disso nenhum pouco, mas, ao contrário do que normalmente acontece, pelo menos não se tem a sensação de ânsia. Talvez porque as cenas sejam bem curtas. Isso, que normalmente pode atrapalhar, serviu como uma luva.

O elenco é bem homogêneo apesar de algum exagero. Nada que condene. A trilha é boa e a história cruel. E, como referi lá acima, é um grito de alerta que precisa ser ouvido. E parece que não é.

Quem acompanha o Partiu Cinema sabe que não acho legal usar a arte como panfleto, como propaganda, como um pedido. Mas, em alguns casos isso se torna mais que aceitável. Necessário até. Esse é o segundo filme que digo isso. Uns 3 posts antes tem mais uma exceção.

Vejam, está no Telecine (Claro Vídeo).


Quer ajudar o Partiu Cinema?


www.000webhost.com