Anabelle 2

Não é fácil. Filme de terror, tenho dito isso há tempos, é o gênero mais difícil de todos. Pois Anabelle mostra que por ser difícil, não necessariamente será ruim. Talvez até estimule.

Resultado de imagem para Talitha Bateman

Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e algumas meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amedrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão, uma boneca que é invadida por um demônio.

Buuu

Esta é a sinopse, típica de um bom filme do gênero. Mas o longa vai além. Bem conduzido e com bons efeitos, ele conta a história de maneira bem interessante. Talvez, baseado em um gosto essencialmente pessoal, as últimas e derradeiras cenas de perseguição tenham sidas demasiadamente longas, mas esse detalhe não chega a interferir no resultado, que é satisfatório.

Claro, eu poderia enumerar algumas dezenas de “erros” na produção, mas se não esquecermos que é um filme de terror, isso tudo passa batido.

Chama a atenção também a protagonista, Talitha Bateman, uma jovem americana com um rosto lindo e marcante, que tem uma atuação primorosa. Olho nela que essa menina tem futuro.

Então, cubra-se de tolerância e licença poética e veja.

É interessante. É bom.

Está no Telecine.


Quer ajudar o Partiu Cinema?